sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Platonismo.

Colecionava algumas pontas de cigarro no cinzeiro de vidro enquanto esperava. Paciência não era uma de suas virtudes, mas naquele caso não tinha outra opção. Chegara dez minutos antes do combinado e já esperava há quase uma hora.

Quando viu a bela moça de cabelos ondulados entrar pela porta do café sentiu um misto de alívio e uma pitada de raiva pela espera. Esboçou um sorriso amarelo e levantou-se para cumprimentá-la com um beijo no rosto. Puxou a cadeira para ela sentar e sentou em seguida.

Ela se desculpava pelo atraso, inventou uma desculpa que estava no trânsito e pediu um cigarro. Paulo pegou seu maço do bolso da camisa e tirou um, já estavam nos últimos. Observou-a colocar o cigarro nos lábios vermelhos e suas delicadas mãos acenderem o isqueiro Bic. Renata deu uma tragada e soltou a fumaça pelas narinas - ela sempre fazia isso na primeira tragada.

Quando Renata finalmente terminou o cigarro, Paulo deu a idéia de dar uma volta a pé pelas redondezas. Não que ela estivesse com vontade de andar, mas sentia-se um pouco culpada pelo tempo que o fizera esperar. Sorriu e disse que era uma grande idéia. Ambos andavam pela calçada, era um dia de sol e o vento quente lhes acariciava o rosto.

Paulo caminhava com as mãos enfiadas nos bolsos, observando algumas folhas caídas no chão. Lembrou-se de seus tempos de menino, gostava de pisar em folhas secas para ouvir o som delas estalando. Foi mais ou menos nessa época que conhecera Renata. Ela, uma menina de pernas finas e cabelo assanhado, sempre brincando com os meninos da vizinhança, hoje uma mulher bonita e desejada.

A conhecia melhor que ninguém, sabia de seus medos, suas dúvidas e suas fraquezas. Em sua juventude, havia sido apaixonado por ela, agora restavam apenas alguns resquícios de amor junto ao desejo de sua pele. Uma amizade que, para ele, era cada vez mais necessária, enquanto que para ela, tornava-se a cada dia um fardo, uma obrigação. Ele simplesmente fingia não ver isso. Gostava de pelo menos estar ao lado dela.

2 comentários:

Sandro Batista disse...

QUe maravilha de conto... Bem escrito, uma narrativa atraente, bem encadeada, muito bom mesmo! Parabéns!

http://estacaoprimeiradosamba.blogspot.com/

Daiah Scarlet disse...

Paixões platônicas ou incorrespondidas, sempre polemicas :S

http://teenager-whore.blogspot.com/